UM SÓ ESPÍRITO E MUITOS PENTECOSTES!

Compartilhe:

 

O modo como compreendemos a vida e, por conseguinte, como vivemos, nem sempre é coerente com a medida, os meios e os recursos que nos foram concedidos por Deus.

Nós complicamos demais as coisas: criamos obstáculos; erguemos muros; alimentamos abismos; desenvolvemos medos, obsessões, tristezas, desesperos, frustrações e fracassos… E para que? A vida é tão mais simples! Viver é muito simples, mas compromete!  Esse é, sem dúvida, o grande nó de nossa existência: não somos dados a coisas simples, porque parecem desprovidas de importância e valor. Terrível engano porque a vida só vale porque é simples.

A vida nos foi dada como Dom; uma verdadeira dádiva; uma graça; presente de Deus. Despretensiosa e aberta! Única e irrepetível. Vida-dom que é presente. E presente não se discute. Presente a gente recebe e aceita, cuidando, em primeiro lugar, de abri-lo abrindo-se a ele; desejando-o; amando-o; querendo-o; agradecendo-o (na hora e sempre). Presente deve, sempre, nos transportar para a intenção e intuição de quem o deu, transcendendo tamanho, material, valor financeiro, durabilidade, origem… transcendendo tudo. A visão do presente recebido, deve nos transportar para a generosidade, o amor, o carinho, a entrega, a beleza, o respeito contidos no ato de quem nos presenteou.

A vida não é um presente de grego para a nossa frustração e desonra, para a nossa infelicidade e destruição. Pelo contrário, se a vida é um presente de Deus, é para a nossa salvação. Porque Deus nunca dá nada que não seja dele; que não tenha a sua essência; que não traga realização presente e futura; que alguém não consiga suportar; que ele não ensine a usar. Deus nunca dá nada para a morte, mas, para a conversão e a salvação.

Devemos admitir que, apesar de termos recebido a vida como presente de Deus, as vezes, nós a vivemos como se fosse um peso, uma carga, uma obrigação, um castigo, uma pena, um destino, um jogo de cartas marcadas ou um beco sem saída.

Infelizmente, quem assim pensa e compreende a vida, fatalmente, viverá buscando medidas de compensações, meios de amenização e recursos de fuga, como única forma de suportar a vida.

A vida é um presente! Esta afirmação elevada ao nível de convicção de fé é capaz de mudar o nosso viver porque, antes, muda os pensamentos, os hábitos, os costumes, a compreensão, as palavras, as intuições, as intenções, os horizontes, as esperanças, as crenças, os valores, o olhar, o rumo, a direção, a fé e a esperança.

Deus não nos deu a vida e, nada mais. Deus nos deu a vida e com ela tudo o mais! Deus sempre agrega, ao que ele dá, a medida, os meios e recursos necessários ao uso, por meio do Espírito Santo. Sim, é por meio do Espírito Santo que Deus fixa e estabelece em nós, a garantia de sucesso em suas obras. É sempre assim, desde o começo. Quando ele nos criou, nós que éramos apenas barro, soprou em nós o seu hálito de vida, o Espírito Santo, como o Primeiro Pentecostes. E, nós, nos tornamos um ser vivente. Quer dizer, animados por Deus. Sendo assim, em todas as suas obras (no passado, no presente e no futuro), o Senhor nos renova, com seu Espírito, fazendo-nos experimentar muitos pentecostes no seu único e mesmo Espírito.

A festa de Pentecostes, que a Igreja celebra neste final de semana, nos coloca diante das múltiplas possibilidades que a vida tem, se vivida sob a ação do Espírito Santo, como um Novo Pentecoste, cada dia.

“(…) ninguém poderá dizer: ‘Jesus é o Senhor!’ a não ser sob a ação do Espírito Santo. Existem dons diferentes, mas o Espírito é o mesmo; diferentes serviços, mas o Senhor é o mesmo; diferentes modos de agir, mas é o mesmo Deus que realiza tudo em todos. Cada um recebe o dom de manifestar o Espírito para a utilidade de todos” (1Cor 12,3-7).

Se quisermos compreender a plenitude dos dons do Espírito, devemos começar por aceitar e acolher a vida nas suas exigências elementares, como Dom de Deus. Tudo ficará mais claro se tomarmos esta decisão e postura.

Adeus vida velha! Agora é vida nova no Espírito Santo!

Viva Pentecostes

 

Por: Pe. Edivaldo Pereira dos Santos

Foto: Google

Posts Relacionados

A AMIZADE DE DEUS

  Nosso Senhor, o Verbo de Deus, que primeiro atraiu os homens para serem servos de Deus, libertou em seguida os que lhe estavam submissos,

LEIA MAIS

ANO
JUBILAR

AMIGOS DO
SEMINÁRIO

ESCOLA
MISSIONÁRIA
DISCÍPULOS DE
EMAÚS - EMIDE

Facebook

Instagram

Últimos Posts