Solidários na vida e na morte, por que não?

Compartilhe:

Solidários, em tudo, na vida!

Outra coisa não é mais necessária.

Longe não é desculpa nem distância.

Ignorar o que é humano é desumano.

Diariamente estamos diante dos outros.

Ai de mim, ai de você pela omissão.

Rir da desgraça alheia, então, nem se fala!

Iremos nós viver isentos de necessidades?

Os soberbos acham que sim, coitados.

Se soubessem a verdade desta ilusão!

 

Não fechariam nunca os olhos do coração.

Antes, como só o amor vale a pena,

 

Voltariam a dar razões ao coração!

Independente do credo ou da raça

Devemos dizer: “Eis-me aqui!”

Atos humanos são anteriores aos atos de fé.

 

Embora muitos deem a Deus com largueza,

 

Negam, ao próximo, migalhas de pão.

Assim como fez o rico opulento a Lázaro.

 

Muito mais do que, apenas, dar coisas,

O mais bonito é dar de si sem nada esperar.

Rico não é aquele que tem de sobra…

Também não é rico quem ostenta poder.

Esta ideia é invenção de quem não sabe SER.

 

Por acaso alguém come e bebe riqueza?

Ouro e prata podem consolar uma dor?

Reflita e diga: quanto custa o amor?

 

Quanto alguém pode pagar por um sorriso?

Um ombro, nas lágrimas, qual é o valor?

Espera e pergunta: quanto custa o amor?

 

Necessidade será é um sinal de fraqueza?

Além dos outros, você não precisa também?

Escuta e responde: quanto custa o amor?

 

Por: Pe.  Edivaldo Pereira dos Santos

Posts Relacionados

ANO
JUBILAR

AMIGOS DO
SEMINÁRIO

ESCOLA
MISSIONÁRIA
DISCÍPULOS DE
EMAÚS - EMIDE

Facebook

Instagram

Últimos Posts