PARA VOCÊ, QUEM É JESUS?

Compartilhe:

 

 

Segundo o ditado: ‘para conhecer bem uma pessoa é preciso comer um saco de sal com ela’; quer dizer: tem que conviver demoradamente, para a recíproca abertura dos universos pessoais: a palavra, o coração, a intimidade, a história, os sonhos… O mundo de cada pessoa é muito amplo e precisa ser descoberto, pouco-a-pouco, no amor e no respeito e, não rompido na pressa curiosa e invasiva. A vida do outro é terreno sagrado, tanto quanto a minha.

O encontro com o outro não é para estabelecer unanimidade por definições e rótulos. Pelo contrário, o encontro com o outro é para acolher e entrar em sua instigante novidade cotidiana porque, a vida é sempre nova; a vida está sempre num vir-a-ser.

O ‘novo’ que caracteriza a vida, não é dissimulação, despersonalização e esquizofrenia; não é mutação é metamorfose; não é deixar de ser isso para ser aquilo; é crescimento; é ser o que se é com o outro, diferente de si. O novo da vida é processo, interação e ajuste. Não é circunstância, é morada. Não é um instante, é jornada. O novo da vida não desarruma a pessoa, enlouquecendo a sua identidade. O novo da vida que, não é obra do acaso, mas, dinâmica da própria vida, supõe mudanças pessoais conscientes e bem determinadas no agir, no fazer e no falar para que não haja desintegração do eu, do ser, da identidade. Em linguagem de fé, o novo da vida supõe conversão. Assim, o encontro com o outro nos abre ao novo e nos chama à mudança!

Todos nós temos dificuldade de relacionamento porque desconsideramos o novo que se impõe como paradigma, como lei e movimento. Nós enclausuramos o outro em definições e rótulos a partir de aparências, circunstâncias e momentos, como Joãozinho e Maria, que marcaram o caminho com migalhas de pão. Assim como Joãozinho e Maria não reconheceram o caminho de volta porque os passarinhos comeram a trilha de pão, também nós, viveremos perdidos no caminho para o outro, porque o marcamos, apenas, com migalhas.

A liturgia, neste final de semana (19 e 20 de junho), traz no miolo da proclamação da Palavra, no Evangelho de Lucas Lc 9,18-24, uma instigante pergunta de Jesus em dois tempos: “Quem dizem as multidões que eu sou?” (v. 18). “E vocês, quem dizem que eu sou?” (v. 20).

A vida pública de Jesus o expõe a todos os olhares, definições e rótulos. Ele ‘entra’ no universo da esperança messiânica, como Messias, sem os qualificativos e status pertinentes a este mister. Quem é ele? Perguntam, incrédulas, as autoridades!

Jesus é uma controvérsia. “Os dirigentes dos judeus tentam prender Jesus, que para eles é uma ameaça. E no meio do povo a divisão continua: o tema da discussão é sobre a origem do Messias. Uns não aceitam Jesus, baseados numa tradição teórica sobre a origem do Messias. Outros, que já são muitos, acreditam que Jesus é o Messias, porque prestam atenção na sua prática libertadora e vêem nisso sinal da presença de Deus. E Jesus então mostra o verdadeiro critério para reconhecer o Messias: não é o lugar de sua origem, mas o fato de ele ser o enviado de Deus, cuja atividade seja reconhecida pelas obras que faz.” (Bíblia Pastoral: nota para Jo 7,25-36.40-44).

De fato, a história de Jesus é avessa à história que pretendem encaixá-lo sob o rótulo de Messias. Jesus é um Messias diferente porque é o Messias do Pai: o enviado do Pai. A incompreensão a respeito de Jesus denuncia a incompreensão a respeito do Pai: de sua vontade, planos, promessas e ações.

Jesus não é Messias segundo o interesse do mundo. “O sumo sacerdote o interrogou de novo: ‘És tu o Messias, o Filho do Deus Bendito?’ Jesus respondeu: ‘Eu sou. E vocês verão o Filho do Homem sentado à direita do Todo-poderoso, e vindo sobre as nuvens do céu’” Mc 14,61-62). Jesus diz, ainda, mais: Eu sou o pão da vida (Jo 6,35) …a luz do mundo (Jo 8,12) …lá de cima (Jo 8,23) …a porta das ovelhas (Jo 10,7) …o bom pastor (Jo 10,14) …a ressurreição e a vida (Jo 11,25) …o mestre e o senhor (Jo 13,13) …o caminho, a verdade e a vida (Jo 14,6) …a verdadeira videira (Jo 15,1) …Jesus, o nazareu, a quem você está perseguindo (At 22,8) …o alfa e o ômega … Aquele-que-é, que-era e que-vem, o deus todo-poderoso (Ap 1,8).

Para você, quem é Jesus?

Por: Pe. Edivaldo Pereira dos Santos

Foto: Google

Posts Relacionados

A AMIZADE DE DEUS

  Nosso Senhor, o Verbo de Deus, que primeiro atraiu os homens para serem servos de Deus, libertou em seguida os que lhe estavam submissos,

LEIA MAIS

ANO
JUBILAR

AMIGOS DO
SEMINÁRIO

ESCOLA
MISSIONÁRIA
DISCÍPULOS DE
EMAÚS - EMIDE

Facebook

Instagram

Últimos Posts