Nossa Vida tem sentido! Nossa Morte também!

Compartilhe:

A morte não é um assunto que interessa à maioria das pessoas. Aliás, temos pouca familiaridade com essa conversa. A morte só é assunto quando chega uma doença; quando acontece um acidente; quando surge algum perigo; quando ocorre alguma ameaça, roubo, sequestro, chantagem, perseguição, violência…

A morte não é um acontecimento circunstancial, castigo divino ou fracasso humano. A morte é o outro lado da nossa existência, tão verdadeira quanto a vida.

Não falar sobre a morte, ignorá-la ou fazer de conta que ela não existe… não vai diminuir o seu peso e, nem tão pouco, vai fazer a vida ser melhor. Pelo contrário, não pensar sobre a morte reduz as grandes intuições sobre a vida e enche a vida de ilusões.

Mas, atenção! Tratar sobre a morte, não significa falar o tempo todo sobre ela. Não. Tratar sobre a monte é tomar consciência de sua existência, realidade, alcance e projeções. Isso significa que, quando dialogamos a nossa existência, levando em consideração a vida e a morte, formamos uma consciência tal que, vida e morte tem sentido transcendental e, não apenas factual.

O que quer dizer sentido transcendental da vida e da morte?

Quer dizer que viver não é, somente, nascer, crescer, desenvolver-se, gozar a vida e fim. Por outro lado, morrer não é, simplesmente, não viver mais, terminar a vida nesse mundo, ser sepultado e acabou.

Nossa morte tem sentido tanto quanto a nossa vida!

A fé nos ensina a olhar para a obra da Criação e para Cristo morto e ressuscitado, a fim de darmos sentido à vida e à morte.

Vejamos o que diz a Palavra

Eclo 17,1-12. O que diz a Criação?

“Da terra o Senhor criou o homem, e para ela o faz voltar novamente. Concedeu aos homens dias contados e tempo medido, e deu-lhes poder sobre todas as coisas que existem na terra. Revestiu-os com a sua própria força e os criou à sua imagem. Infundiu em todos os seres vivos o temor para com os homens, para que estes dominassem as feras e pássaros. Deu-lhes discernimento, língua, olhos, ouvidos e mente para pensar. Encheu-os de ciência e inteligência, e também mostrou-lhes o bem e o mal. Infundiu o seu temor na consciência deles, para mostrar-lhes a grandeza de suas obras. Eles louvarão o seu nome santo, cantando a grandeza de suas obras. Concedeu aos homens a ciência e lhes entregou como herança a lei da vida. Fez com eles uma aliança eterna e deu-lhes a conhecer suas sentenças. Os olhos dos homens contemplaram a grandeza da glória de Deus, e seus ouvidos ouviram a majestade de sua voz. E disse a eles: ‘Cuidado para não cometer injustiça!’ E ordenou que cada um se preocupasse com o próximo.”

1 Cor 15,12-14.17-19. O que diz a fé?

“Ora, se nós pregamos que Cristo ressuscitou dos mortos, como é que alguns de vocês dizem que não há ressurreição dos mortos? Se não há ressurreição dos mortos, então Cristo também não ressuscitou; e se Cristo não ressuscitou, a nossa pregação é vazia e também é vazia a fé que vocês têm. E se Cristo não ressuscitou, a fé que vocês têm é ilusória e vocês ainda estão nos seus pecados. E desse modo, aqueles que morreram em Cristo estão perdidos. Se a nossa esperança em Cristo é somente para esta vida, nós somos os mais infelizes de todos os homens.

Romanos 14,7-9. O que diz nossa existência?

“Porque nenhum de vocês vive para si mesmo, e ninguém morre para si mesmo. Se vivemos, é para o Senhor que vivemos; se morremos, é para o Senhor que morremos. Quer vivamos, quer morramos, pertencemos ao Senhor. Cristo morreu e voltou à vida para ser o Senhor dos mortos e dos vivos.”

Hebreus 12,1-3. Olhemos para Cristo.

“Portanto, estamos rodeados dessa grande nuvem de testemunhas. Deixemos de lado tudo o que nos atrapalha e o pecado que se agarra em nós. Corramos com perseverança na corrida, mantendo os olhos fixos em Jesus, autor e consumador da fé. Em troca da alegria que lhe era proposta, ele se submeteu à cruz, desprezando a vergonha, e se assentou à direita do trono de Deus. Para que vocês não se cansem e não percam o ânimo, pensem atentamente em Jesus, que suportou contra si tão grande hostilidade por parte dos pecadores.”

Pe. Edivaldo Pereira dos Santos

 

Posts Relacionados

ANO
JUBILAR

AMIGOS DO
SEMINÁRIO

ESCOLA
MISSIONÁRIA
DISCÍPULOS DE
EMAÚS - EMIDE

Facebook

Instagram

Últimos Posts