NA TRILHA DA CF 2022 (IV): UM JOVEM PREGADOR

Compartilhe:

         Aproxima-se o lançamento da Campanha da Fraternidade 2023, que traz o tema “Fraternidade e Fome”, mas eu gostaria de refletir ainda, um pouco, sobre a Campanha de 2022, até porque o ano passou mas o desafio continua: muito ainda precisa ser feito no nosso país, para que se transforme a triste realidade educacional em que vivemos e que, inclusive, tem implicação direta na problemática da fome do nosso povo. E inicio a minha reflexão recorrendo a um missionário católico, renomado cantor, compositor e escritor, que há mais de cinquenta anos utiliza a música para evangelizar.

Na canção “Um certo galileu”, o Padre Zezinho conta a história de “um jovem pregador que tinha tanto amor” e “tocava o coração de quem o escutava”. Ninguém podia imaginar um amor assim tão grande, tão cheio de paz, transmitido de um jeito tão puro e tão bonito. Seu nome: Jesus de Nazaré, exemplo inconteste de alguém que “fala com sabedoria e ensina com amor”. Sem dúvida, a cantiga sintetiza a vida daquele que melhor representa o espírito da Campanha da Fraternidade 2022, cujo tema é Fraternidade e Educação, e o lema aponta para a sabedoria e para o amor.

Jesus de Nazaré, o Filho de Deus, mas também homem como nós, viveu a vida fazendo o bem e praticando o amor. Sua pregação era coerente com a sua prática, e a sua prática era reflexo do que ensinava. Seu jeito simples de conversar, seu jeito amigo de se expressar atraía multidões que o seguiam por todos os lugares, impulsionadas por seu testemunho e impressionadas com o seu discurso.

Mais que qualquer outro pregador, mais que qualquer escriba ou mestre da Lei, ele falava com sabedoria e ensinava com amor. Dirigia-se a ricos e pobres, cultos e iletrados, judeus e pagãos, sem distinção de qualquer natureza. Sua pedagogia, baseada no diálogo, privilegiava a liberdade, a justiça e a verdade, sendo, portanto, a inspiração ideal para os educadores de um mundo em contínua transformação.

Nos nossos dias, é por demais oportuno que os educadores brasileiros busquem conhecer a pessoa e os ensinamentos do Redentor, passando a praticá-los com convicção, para que essa transformação, que é contínua e irrefreável, retome os trilhos da fraternidade e, por conseguinte, do desenvolvimento integral do ser humano. Professores, mestres, doutores, sacerdotes, catequistas, todos enfim que têm a vocação de ensinar, devem mirar-se no exemplo do Divino Mestre.

A bem da verdade, cada um de nós tem algo a ensinar e muito a aprender – sempre! Aprender com Jesus e com Maria, com a Igreja e com a Escola, com a Família, com o Povo e com a Vida. Cristãos e não cristãos, todos podem colaborar na construção de uma vida nova, digna e feliz. E particularmente nós católicos, batizados que somos, somos enviados em missão, para pregar a boa nova a todas as criaturas, transformando as estruturas que muitas vezes escravizam e matam o corpo e a alma. Assim sendo, procuremos ouvir com sabedoria e aprender com amor, para que saibamos, como o “jovem pregador”, falar com sabedoria e ensinar com amor, e onde quer que estejamos, a quem quer que nos dirijamos, o que quer que digamos, usemos sempre a coerência, a paciência, a pedagogia e a lógica de Jesus, que se fundamentam no amor, na justiça, na verdade e na misericórdia.

 

Por: Diác. Gutemberg Cavalcante Rocha

Posts Relacionados

OS CRISTÃOS NO MUNDO

Como identificar os cristãos? Pela Bíblia? Pela Igreja? Pelo Palavreado? Pelos trejeitos? Pela roupa? Pelos costumes? Pelos amigos? No século II, um belíssimo texto da

LEIA MAIS

AMIGOS DO
SEMINÁRIO

ESCOLA
MISSIONÁRIA
DISCÍPULOS DE
EMAÚS - EMIDE

Facebook

Instagram

Últimos Posts