NA TRILHA DA CF 2022 (III): “Virgem Maria, Mãe educadora”

Compartilhe:

NA TRILHA DA CF 2022 (III)

“Virgem Maria, Mãe educadora”

No contexto da Campanha da Fraternidade 2022, cuja temática é a Educação, a Virgem Maria é invocada sob o título de “Mãe educadora”, o que nos remete à infância de Jesus, aos seus primeiros passos no processo educacional. Maria, sua primeira professora e primeira catequista, transmitiu-lhe a educação básica e farto conteúdo das Escrituras, da Lei e dos Profetas, sempre com o auxílio precioso do seu castíssimo esposo José.

Isso aconteceu na cidade de Nazaré, na Galileia, que viu o pequeno Aprendiz crescer em sabedoria, estatura e graça (cf. Lc 2,52), no seio da Sagrada Família. E se Maria e José foram os professores, a pequenina Nazaré representa a geografia da escola de Jesus. Ali Ele iniciou o seu aprendizado para a vida e para a missão; ali Maria e José criaram e educaram o Filho de Deus com humildade, responsabilidade e competência. Deles se pode dizer, lembrando o lema da Campanha da Fraternidade, que falavam com sabedoria e ensinavam com amor.

Maria de tal forma desempenhou o seu papel de mãe e mestra, e de esposa, a ponto de se tornar modelo para a Igreja, igualmente esposa, mãe e mestra.

Lembremos que Maria, professora e aluna, mestra e discípula de Jesus, é por excelência nossa mãe, nossa advogada e nossa intercessora. Nesse sentido, quem muito bem a retratou foi o escritor paraibano Ariano Suassuna, no consagrado “Auto da Compadecida”, obra-prima da literatura brasileira. No texto, transposto para o cinema, e cujo papel de Maria foi magistralmente interpretado por Fernanda Montenegro, vê-se uma verdadeira aula de Mariologia. Ao defender com serenidade e veemência os filhos pecadores, Nossa Senhora fala com sabedoria e ensina com amor, em cenas comoventes que transmitem importantes lições de compaixão, misericórdia e perdão. Para livrar da condenação eterna os seus protegidos, ela enfrenta Satanás com galhardia e altivez, ao mesmo tempo que dialoga com seu Divino Filho, apresentando-lhe argumentos piedosos e convincentes, aos quais Ele se rende com resignação.

Santa Maria, mãe de Jesus e da Igreja, mãe educadora. São José, pai adotivo de Jesus e patrono da Igreja, pai educador. Muito oportunamente, o Manual da CF 2022 nos recorda a catequese do Papa Francisco em 19 de março de 2014, Dia de São José, na qual ele se refere ao Padroeiro das famílias e dos trabalhadores como “modelo do educador, que protege e acompanha Jesus no seu caminho de crescimento, em sabedoria, idade e graça”. Em seguida, Francisco enfatiza: “José educou Jesus primariamente com o exemplo: o exemplo de um ‘homem justo’ (Mt 1, 19), que se deixa sempre guiar pela fé, e sabe que a salvação não deriva da observância da lei, mas da graça de Deus, do seu amor e da sua fidelidade”. Homem de poucas palavras, José se nos dá a conhecer – por suas ações e pelo que reza a Tradição – como alguém que ama o silêncio, mas fala com sabedoria e ensina com amor.

Portanto, se queremos adotar um novo conceito de Educação, respaldado no Evangelho, voltado para a valorização da vida e promoção da dignidade humana, devemos nos inspirar nos educadores do Mestre dos Mestres. E que toda a Igreja do Brasil repita com fé a Oração da CF 2022, pedindo que a “Virgem Maria, mãe educadora, com a sabedoria dos pequenos e pobres, nos ajude a educar e servir com a pedagogia do diálogo, da solidariedade e da paz.

 

Por: Gutemberg Cavalcante Rocha

Posts Relacionados

QUEM SE CALA…

Todos nós temos responsabilidade no bem ou no mal do mundo.  Ninguém pode se considerar isento desta responsabilidade ou inocente em todas as situações. Com

LEIA MAIS

“PAU PRA TODA OBRA”

  Algumas pessoas, como diz o ditado, são “pau pra toda obra”: são arrojadas, têm iniciativas, colaboram, são prestativas, têm disposição, são dinâmicas, têm coragem,

LEIA MAIS

ANO
JUBILAR

AMIGOS DO
SEMINÁRIO

ESCOLA
MISSIONÁRIA
DISCÍPULOS DE
EMAÚS - EMIDE

Facebook

Instagram

Últimos Posts

QUEM SE CALA…

Todos nós temos responsabilidade no bem ou no mal do mundo.  Ninguém pode se considerar isento desta responsabilidade ou inocente em todas as situações. Com