NA TRILHA DA CF 2022 (III): “Virgem Maria, Mãe educadora”

Compartilhe:

NA TRILHA DA CF 2022 (III)

“Virgem Maria, Mãe educadora”

No contexto da Campanha da Fraternidade 2022, cuja temática é a Educação, a Virgem Maria é invocada sob o título de “Mãe educadora”, o que nos remete à infância de Jesus, aos seus primeiros passos no processo educacional. Maria, sua primeira professora e primeira catequista, transmitiu-lhe a educação básica e farto conteúdo das Escrituras, da Lei e dos Profetas, sempre com o auxílio precioso do seu castíssimo esposo José.

Isso aconteceu na cidade de Nazaré, na Galileia, que viu o pequeno Aprendiz crescer em sabedoria, estatura e graça (cf. Lc 2,52), no seio da Sagrada Família. E se Maria e José foram os professores, a pequenina Nazaré representa a geografia da escola de Jesus. Ali Ele iniciou o seu aprendizado para a vida e para a missão; ali Maria e José criaram e educaram o Filho de Deus com humildade, responsabilidade e competência. Deles se pode dizer, lembrando o lema da Campanha da Fraternidade, que falavam com sabedoria e ensinavam com amor.

Maria de tal forma desempenhou o seu papel de mãe e mestra, e de esposa, a ponto de se tornar modelo para a Igreja, igualmente esposa, mãe e mestra.

Lembremos que Maria, professora e aluna, mestra e discípula de Jesus, é por excelência nossa mãe, nossa advogada e nossa intercessora. Nesse sentido, quem muito bem a retratou foi o escritor paraibano Ariano Suassuna, no consagrado “Auto da Compadecida”, obra-prima da literatura brasileira. No texto, transposto para o cinema, e cujo papel de Maria foi magistralmente interpretado por Fernanda Montenegro, vê-se uma verdadeira aula de Mariologia. Ao defender com serenidade e veemência os filhos pecadores, Nossa Senhora fala com sabedoria e ensina com amor, em cenas comoventes que transmitem importantes lições de compaixão, misericórdia e perdão. Para livrar da condenação eterna os seus protegidos, ela enfrenta Satanás com galhardia e altivez, ao mesmo tempo que dialoga com seu Divino Filho, apresentando-lhe argumentos piedosos e convincentes, aos quais Ele se rende com resignação.

Santa Maria, mãe de Jesus e da Igreja, mãe educadora. São José, pai adotivo de Jesus e patrono da Igreja, pai educador. Muito oportunamente, o Manual da CF 2022 nos recorda a catequese do Papa Francisco em 19 de março de 2014, Dia de São José, na qual ele se refere ao Padroeiro das famílias e dos trabalhadores como “modelo do educador, que protege e acompanha Jesus no seu caminho de crescimento, em sabedoria, idade e graça”. Em seguida, Francisco enfatiza: “José educou Jesus primariamente com o exemplo: o exemplo de um ‘homem justo’ (Mt 1, 19), que se deixa sempre guiar pela fé, e sabe que a salvação não deriva da observância da lei, mas da graça de Deus, do seu amor e da sua fidelidade”. Homem de poucas palavras, José se nos dá a conhecer – por suas ações e pelo que reza a Tradição – como alguém que ama o silêncio, mas fala com sabedoria e ensina com amor.

Portanto, se queremos adotar um novo conceito de Educação, respaldado no Evangelho, voltado para a valorização da vida e promoção da dignidade humana, devemos nos inspirar nos educadores do Mestre dos Mestres. E que toda a Igreja do Brasil repita com fé a Oração da CF 2022, pedindo que a “Virgem Maria, mãe educadora, com a sabedoria dos pequenos e pobres, nos ajude a educar e servir com a pedagogia do diálogo, da solidariedade e da paz.

 

Por: Gutemberg Cavalcante Rocha

Posts Relacionados

ANO
JUBILAR

AMIGOS DO
SEMINÁRIO

ESCOLA
MISSIONÁRIA
DISCÍPULOS DE
EMAÚS - EMIDE

Facebook

Instagram

Últimos Posts