NA TRILHA DA CF 2022 (II) : “A Esposa de Cristo”

Compartilhe:

NA TRILHA DA CF 2022 (II) 

A Esposa de Cristo

            O lema da Campanha da Fraternidade 2022, extraído do livro dos Provérbios, integra uma lista de atributos comportamentais e existenciais considerados indispensáveis à “esposa ideal”. Diz o autor sagrado que, dentre várias outras qualidades, a esposa ideal é aquela que “fala com sabedoria, ensina com amor” (cf. Pr 31.26). E em se tratando de esposa ideal, é natural lembrarmos da Esposa de Jesus Cristo, a Igreja, “a Esposa imaculada do Cordeiro imaculado” (cf. CIC 796).

Pois bem, além de Esposa de Cristo, a Igreja é Mãe e Mestra, conforme enfatiza o Papa São João XXIII na Encíclica “Mater et Magistra”, importante marco da Doutrina Social da Igreja, publicada em 1961. “Mãe e mestra de todos os povos”. E como Esposa, e como Mãe, e como Mestra, ela fala com sabedoria e ensina com amor. Sendo assim, é imperioso escutarmos a Igreja, se quisermos um mundo novo, porque através da Educação é que chegaremos lá, e a Educação tanto mais se mostrará eficaz, eficiente e efetiva, quanto mais seja iluminada pela Palavra de Deus.

O Magistério da Igreja, os Santos e Doutores, a Tradição, a caminhada do Povo de Deus, e toda a experiência e conhecimentos acumulados pela Santa Madre Igreja ao longo de vinte séculos, inclusive com a disseminação de escolas católicas, de todos os níveis, pelos cinco continentes, credenciam-na a ser farol para quem se propõe avançar para águas mais profundas, na construção do mundo mais humano, justo e solidário proposto pela Campanha da Fraternidade.

É preciso ESCUTAR, DISCERNIR, AGIR. Não se espere um caminho sem espinhos: haverá dificuldades, sim; haverá dúvidas e pedras no meio do caminho, haverá obstáculos e dissabores, mas haverá também esperança e libertação, leite e mel, encantos e flores.

Tampouco se pense que a contribuição da Igreja se limita a rudimentos da fé.
Ao sugerir mudanças nas políticas educacionais, a Igreja pretende que se faça uma avaliação científica aprofundada e se encontrem soluções práticas, criativas e consistentes, no sentido de se promover, pela Educação, a vida e a dignidade humana, especialmente dos mais pobres e vulneráveis.

Tudo isso requer que a Educação se submeta à lógica cristã da Fraternidade, e que haja harmonia e equilíbrio entre a Fé e a Razão, lembrando o que diz a Encíclica “Fides et Ratio” (São João Paulo II, 1998): “a fé e a razão constituem como que as duas asas pelas quais o espírito humano se eleva para a contemplação da verdade”.

Portanto, a Esposa de Cristo está habilitada a prestar um grande – eu diria imprescindível – contributo à sociedade, pois ela fala com sabedoria e ensina com amor. Consciente disso, ela mesma se lança à tarefa de iluminar a história propondo mudanças de rumo. Assim é que, há dois anos, o Papa Francisco propôs ao mundo o Pacto Educativo Global, visando uma educação humanizante, universal e inclusiva; assim é que, agora, no Brasil, neste tempo favorável de conversão, a CNBB convida os fiéis, autoridades e entidades ligadas à Educação, a se debruçarem sobre o tema, objetivando um humanismo integral e solidário, alicerçado no diálogo, na fraternidade e na paz.

 

Por: Gutemberg Cavalcante Rocha

Posts Relacionados

QUEM SE CALA…

Todos nós temos responsabilidade no bem ou no mal do mundo.  Ninguém pode se considerar isento desta responsabilidade ou inocente em todas as situações. Com

LEIA MAIS

“PAU PRA TODA OBRA”

  Algumas pessoas, como diz o ditado, são “pau pra toda obra”: são arrojadas, têm iniciativas, colaboram, são prestativas, têm disposição, são dinâmicas, têm coragem,

LEIA MAIS

ANO
JUBILAR

AMIGOS DO
SEMINÁRIO

ESCOLA
MISSIONÁRIA
DISCÍPULOS DE
EMAÚS - EMIDE

Facebook

Instagram

Últimos Posts

QUEM SE CALA…

Todos nós temos responsabilidade no bem ou no mal do mundo.  Ninguém pode se considerar isento desta responsabilidade ou inocente em todas as situações. Com