Missa e Ofício de Trevas marcam celebrações da quarta feira das Trevas na Catedral de Oeiras

Compartilhe:

 

Na noite desta quarta-feira santa (13/04/2022) Dom Edilson Soares Nobre presidiu o solene ofício de trevas na Catedral de Nossa Senhora da Vitória, a celebração contou com a presença de paroquianos e dos fiéis católicos da cidade, bem como dos filhos da terra que já chegam para participar das celebrações do Sacro Tríduo Pascal.
Nesta celebração usa-se um candelabro com várias velas e após a recitação dos salmos as velas são apagadas uma por uma, recordando assim a paixão e morte do Senhor. Longe de um ato enigmático e obscuro, o ofício de trevas, é uma celebração na qual mostra, de forma bastante clara, a figura do servo Sofredor e, junto dEle, nos colocamos rezando e meditando sobre os Sofrimentos de Sua Paixão e Morte na Cruz. Este nome (Ofício de Trevas) tem diversas explicações. Entre elas: As trevas naturais de meia-noite ao anoitecer, ou seja, as horas destinadas à recitação do ofício, lembrando as palavras de Cristo preso nas trevas da noite: “Haec est hora vestra et potestas tenebrarum” (Esta é a vossa hora e do poder das trevas.) (Lc 22, 53); As trevas litúrgicas, quando durante as cerimonias da paixão apagam-se todas as luzes na igreja, exceto uma; As trevas simbólicas da paixão. No evangelho de hoje escuta-se a traição de Judas, fazendo assim uma associação a este ato para-litúrgico celebrado
A Celebração deve encerrar no escuro, porém após o Ofício foi celebrado a Santa Missa Solene da Quarta Feira da Semana Santa na qual escutamos o evangelho onde Judas entrega Jesus por 30 moedas.
Dom Edilson em sua homilia destacou que Jesus foi traído por um de seus apóstolos. Judas deixou- se levar pelo egoísmo, pelo poder, tornou- se um traidor e encontrou como resposta de sua traição a solidão e o arrependimento por ter traído seu mestre. Dom Edilson nos alertou para termos cuidado pois Judas pode está dentro de cada um de nós.
Ressaltou ainda que a dor de ser traído é uma experiência dolorosa, e Jesus sentiu essa dor, pois o discípulo era um dos seus escolhidos para dá seguimento a sua missão.
Concluiu numa oração pedindo a Deus que a traição não faça parte da vida do ser humano e que as pessoas possam depositar a confiança uns nos outros. Que a Semana Santa é um tempo propício para viver o processo de conversão.
Dom Edilson fez o convite que os fiéis participem dos mistérios da Paixão, morte e ressurreição do senhor de forma intensa e orante.
A Semana Santa em Oeiras, segue com programação onde os fiéis podem viver uma experiência de fé e possam reviver os passos de Jesus até a sua morte e ressurreição.

Por Dalva Carvalho e Matheus Nunes

fotos: Claudio Fernandes

 

Posts Relacionados

ANO
JUBILAR

AMIGOS DO
SEMINÁRIO

ESCOLA
MISSIONÁRIA
DISCÍPULOS DE
EMAÚS - EMIDE

Facebook

Instagram

Últimos Posts