MÊS MISSIONÁRIO EXTRAORDINÁRIO: Batizados e enviados

Compartilhe:

 

Com abertura realizada no dia 1º de Outubro, está instalado, na Igreja, o Mês Missionário Extraordinário, com o objetivo, segundo o Papa Francisco de: “despertar, em medida maior, a consciência da ‘missio ad gentes’ (sobre a evangelização dos povos) e retomar com novo impulso a transformação missionária da vida e da pastoral”.

Em vista de um maior aprofundamento sobre o objetivo deste mês, estão propostas algumas reflexões.

Reflexão: “Batizados e enviados”

Enfoque: Retomar a intenção do tema escolhido para o Mês Missionário Extraordinário. Este tema destaca que o envio para a missão e um chamado vinculado ao Batismo e está presente em todos os batizados. Assim, a missão é envio para a salvação que realiza a conversão do enviado e do destinatário. A nossa vida, em Cristo, e uma missão! Nós próprios somos missão porque somos amor de Deus comunicado; somos santidade de Deus criada a sua imagem. A missão é, portanto, santificação, nossa e do mundo inteiro, desde a criação (cf. Ef 1,3-6). A dimensão missionária do nosso Batismo traduz-se, assim, em testemunho de santidade que dá vida e beleza ao mundo.

Pistas para a reflexão: O Batismo é a grande porta de entrada para a vida na fé. Pelo batismo nos tornamos membros do corpo de Cristo e da Igreja. Batismo significa mergulho: nosso mergulho na vida e missão de Cristo e mergulho de Cristo em nossa vida e missão. Por isso, toda pessoa que foi batizada, participa da missão de Cristo e, por Ele é enviado, em missão, como testemunha, seguidora e anunciadora da sua Palavra e do Reino.

Iluminação Bíblica: batismo e conversão (Lucas 3,3-17); o serviço humilde (Mateus 20,20-28).

Desenvolvendo o tema: A Palavra de Deus nos ajuda a entender que o batismo não é um ritual perdido na infância de uma pessoa e, nem tão pouco um certificado de Cristianismo, para ficar anotado em um livro de dados da Paróquia. O Batismo é caminho de discipulado missionário e tem a ver com Conversão e Missão.

Conversão tem a ver com mudança de vida e de mentalidade.

Missão tem a ver com um novo sentido para a vida.

Desejaria que todos e cada um de nós pudéssemos visitar, pelos menos em espírito, a própria pia batismal, mergulhar nela a nossa cabeça e descobrir a missionariedade do próprio batismo… Então, devo ser missionário. Se eu não sou missionário, então não sou cristão” (Dom Pedro Casaldáliga).

Pelo Batismo, somos imersos naquela inesgotável fonte de vida que é a morte de Jesus, o maior ato de amor de toda a história, e, graças a esse amor, podemos viver uma vida nova, já não à mercê do mal, do pecado e da morte, mas em comunhão com Deus e com os irmãos” (Papa Francisco).

Somos convidados a confirmar a nossa identidade batismal como encontro pessoal com Jesus Cristo vivo: Ele envia-nos para sermos suas testemunhas no mundo. Com efeito, a missão da Igreja prolonga a missão que Jesus recebeu do Pai, no Espírito.

Anunciando Jesus Cristo na Palavra e no Sacramento, a missão da Igreja responde a sede de vida autentica e de sentido presente no coração de cada mulher e de cada homem. Oferecer aos homens deste mundo o Batismo em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo (cf. Mt 28,19) e com eles partilhar o pão da Eucaristia significa dar a vida de Deus que nos salva do mal e da morte (cf. Jo 6,48-51; 10,10). Na água e no Espírito, o sangue de Cristo (cf. 1Jo 5,1-13) redime-nos, dá-nos a fé e oferece-nos ao mundo para sua salvação. Aos pobres, a nos, prisioneiros do pecado, é verdadeiramente anunciada a graça que liberta e salva (cf. Lc 4,14-22). Nada e ninguém é excluído do amor misericordioso de Deus, que nos envia em missão para nos atrair a todos a Si.

Por: Pe. Edivaldo Pereira dos Santos

Foto: Google

 

Posts Relacionados

ANO
JUBILAR

AMIGOS DO
SEMINÁRIO

ESCOLA
MISSIONÁRIA
DISCÍPULOS DE
EMAÚS - EMIDE

Facebook

Instagram

Últimos Posts