Liturgia Dominical: “O verdadeiro cristão faz nascer nas pessoas a vontade de encontrar Deus”

Compartilhe:

Quinto Domingo da Quaresma

O verdadeiro cristão faz nascer nas pessoas a vontade de encontrar Deus

A Páscoa se aproxima! Mas, o que significa fazer a Páscoa? Responde-nos a primeira leitura com um aviso claríssimo: “Imprimirei minha lei em suas entranhas e hei de inscrevê-la em seu coração” (Jr 31,33).

Portanto, se não se muda o coração, não tem Páscoa. Se não cresce a caridade dentro de nossas casas, não tem Páscoa. Se não fazemos gestos de reconciliação com aqueles que nos fazem sofrer, não tem Páscoa. Sobretudo, se não acolhemos Cristo em nossas vidas, tornando-nos semelhantes a Ele, não tem Páscoa.

Acompanhemos o Evangelho de hoje que nos apresenta Cristo na última semana da sua vida. Jesus está em Jerusalém, em meio à gente: Deus entre os homens! Alguns pedem aos apóstolos: “Queremos ver Jesus! Queremos conhecê-lo!”. É um pedido legítimo, um pedido que se repete, um pedido que se lê nos olhos de tanta gente.

Jesus, àqueles que o querem conhecer, responde: “É chegada a hora em que será glorificado o Filho do Homem” (Jo 12,23). Esta resposta, aparentemente, parece estranha. Por que é chegada a hora? Mas é a hora da Paixão, é a hora da prova, é a hora do sacrifício! Será esta a hora de Deus?

Jesus acrescenta: “Se o grão de trigo que cai na terra não morre, ele continua só um grão de trigo; mas, se morre, então produz muito fruto” (Jo 12,24). O sacrifício então é uma lei de vida. Sem capacidade de morrer pelos outros, o homem é só e permanece só. É o viver para os outros que vence a solidão humana e a preenche de rostos, de pessoas, de presenças. Hoje, infelizmente, o sacrifício é evitado a tal ponto que não se é mais capaz de viver para os outros. Consequência: o mundo é pleno de pessoas sós, como Cristo havia predito.

Continua Jesus: “Quem se apega à sua vida perde-a; mas quem faz pouca conta de sua vida neste mundo conserva-la-á para a vida eterna” (Jo 12,25). Jesus condena o egoísmo como a maior loucura e exalta o altruísmo como a maior graça da vida.

“Quem se apega à sua vida perde-a”: cada vida que busca somente satisfação para si, se perde; cada dia vivido exclusivamente para si, é queimado inutilmente. Diante de Deus salva-se somente quem se doa. Feliz, portanto, quem sabe doar! Feliz quem é incansável em buscar ocasiões para a sua caridade!

Cristo conclui: “É agora o julgamento deste mundo… e eu quando for elevado da terra, atrairei todos a mim” (Jo 12,31). Sobre a Cruz de Cristo foi iniciado um novo capítulo da história do mundo. E todos devemos reconhecer que a partir de Cristo mudou o próprio modo de pensar Deus.

 

Dom Edilson Soares Nobre

Bispo Diocesano de Oeiras

Posts Relacionados

ANO
JUBILAR

AMIGOS DO
SEMINÁRIO

ESCOLA
MISSIONÁRIA
DISCÍPULOS DE
EMAÚS - EMIDE

Facebook

Instagram

Últimos Posts