Liturgia Dominical: “É o tempo da Igreja: e a Igreja somos nós”

Compartilhe:

Ascensão do Senhor

É o tempo da Igreja: e a Igreja somos nós

Celebramos hoje a vitória de Cristo. A Sua ascensão significa também a nossa elevação. Ele elevou-se ao céu para dar-nos a certeza de que nos conduzirá à glória da imortalidade. Jesus foi glorificado e junto do Pai é nosso eterno mediador. Assim sendo, somos chamados a elevarmos os nossos louvores ao Pai porque, em seu Filho glorificado, nossa natureza humana já participa de sua glória.

Na liturgia de hoje é possível aprender que o homem não pode pretender saber tudo e entender cada coisa. Nas relações com Deus a última palavra se chama fé, abandono, obediência. Naqueles quarenta dias em que o Cristo Ressuscitado esteve com os Apóstolos, estes lhe fizeram uma pergunta, que em diversas versões, retornará na vida da Igreja: “Senhor, é agora que vais restaurar o Reino de Israel?” (At 1,6). Em outras palavras: “Quando farás ver a Tua onipotência punindo os malvados e premiando os justos?”. Por trás desta pergunta tem a impaciência que todos conhecemos, que á a pressa de fechar a história e de fazer as contas; tem também o medo do futuro.

Jesus não responde à pergunta, mas convida os apóstolos a não esquecerem que o último passo da razão é reconhecer que existe uma infinidade de coisas que a superam. Eis as suas palavras: “Não vos cabe saber os tempos e os momentos que o Pai determinou com a sua própria autoridade” (At 1,7). Ou seja: cada um no seu lugar. O calendário do mundo somente Deus o conhece.

De que coisa devemos então nos preocupar? Eis a resposta: “Recebereis o poder do Espírito Santo, quando descerá sobre vós para serdes minhas testemunhas, em Jerusalém, em toda a Judéia e na Samaria e até os confins da terra” (At 1,8).

A Ascenção faz decolar o tempo da Igreja. Esta é nossa hora, a hora da Igreja. O tempo e os anos são dons de Deus, para viver a nossa vocação, para difundir a Boa Notícia, para fazer o mundo conhecer Cristo. Disso devemos nos preocupar. “Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura” (Mc 16,15). É o mandamento preciso que define a nossa missão. Mas nós entendemos que a fé nos chama a esta responsabilidade? Nos sentimos convidados por Jesus? Quantas vezes nos assemelhamos a pessoas que esperam a intervenção de Deus, enquanto Deus, na verdade, espera a nossa resposta!

“Homens da Galiléia, por que ficais aqui, parados, olhando para o céu?”. É como dizer: “Será que não entendestes que é chegada a vossa hora? Que é iniciada a hora do vosso empenho e do vosso compromisso?”

 

Dom Edilson Soares Nobre

Bispo Diocesano de Oeiras

Posts Relacionados

ANO
JUBILAR

AMIGOS DO
SEMINÁRIO

ESCOLA
MISSIONÁRIA
DISCÍPULOS DE
EMAÚS - EMIDE

Facebook

Instagram

Últimos Posts