GENEROSIDADE (Judette A. Gallares)

Compartilhe:

 

Ponto a ser considerado: Deus é quem nos dá a graça de responder com corações generosos a fim de podermos aprender a “dar sem nos importarmos com o custo”.

Generosidade é palavra que tem ricos significados. Vem da raiz latina gener, que quer dizer criar ou gerar (geração). O ato ou processo de gerar é essencialmente uma escolha para a vida. Envolve auto-entrega.

Então, a palavra generosidade está intimamente ligada à fertilidade e fecundidade da criação de Deus, pois tudo o que Deus cria é capaz de se renovar. Portanto, uma pessoa generosa reflete a capacidade divina de dar e estender a vida. Tal pessoa é altruísta, bondosa, caridosa e livre de coisas vis ou de ter uma mente e um caráter medíocre.

O fruto do Espírito que habita em nós é manifesto em nossa generosidade. Assim, quanto mais generosos formos, mais frutíferas serão as nossas vidas.

 

Meditações bíblicas

  • Texto – 2 Coríntios 9,6-15: “Para vocês multiplicará a semente, e ainda fará crescer o fruto da justiça que vocês têm.”

A quantidade da colheita vai depender da quantidade de sementes que semeamos. Quanto mais permitimos a nós mesmos sermos usados como instrumentos divinos, mais Deus vai nos encher com a capacidade de nos entregarmos de modo mais adequado e generoso. Quais são as áreas da minha vida às quais devo entregar-me com mais generosidade?

  • Texto – Lucas 20,45-21,4: “Eu garanto a vocês: essa viúva pobre depositou mais do que todos (…) depositou tudo o que possuía para viver.”

No tempo de Jesus, as viúvas eram consideradas “um dos pequenos” da sociedade. Como os órfãos, não tinham direitos civis, nem tinham quem as protegesse. As pessoas tiravam vantagem delas porque eram muito vulneráveis; até alguns mestres da Lei às vezes se hospedavam na casa delas para viver às suas custas. De que modo eu me assemelho à viúva pobre, que dava de sua pobreza?

  • Texto – João 12,3-8: “Então, Maria levou quase meio litro de perfume de nardo puro e muito caro e ungiu com ele os pés de Jesus.”

Maria era sensível ao sofrimento de Jesus. Permitindo que o ungisse, Jesus quis que seus discípulos aprendessem a essência do próprio amor. O amor nos impulsiona à entrega aos outros. O amor aguça nossa sensibilidade com respeito ao próximo e nos capacita a atender às suas necessidades de modo altruísta. De que modo posso seguir o exemplo de Maria? O que devo entregar deliberadamente ao Senhor?

Por: Pe. Edivaldo Pereira dos Santos

Foto: Google

Posts Relacionados

ANO
JUBILAR

AMIGOS DO
SEMINÁRIO

ESCOLA
MISSIONÁRIA
DISCÍPULOS DE
EMAÚS - EMIDE

Facebook

Instagram

Últimos Posts

ACEITAÇÃO AMOROSA DO SOFRIMENTO

Santa Teresinha do Menino Jesus (nascida em 1873), tem um testemunho eucarístico belíssimo. Sua vida, à semelhando do Cristo, está marcada pelo sacrifício da vida-à-serviço