FÉ BÍBLICA: uma chama brilha na escuridão; uma força para o vendaval!

Compartilhe:

Em nosso tempo, temos dificuldades de nos relacionar na base da confiança. Somos uma geração de desconfiados e ensinamos a desconfiança. Consagramos, em nosso vocabulário pessoal, expressões como: “dormir com um olho aberto e o outro fechado”; “confiar desconfiando”.

Em muitos casos, a desconfiança é tão grave que, as “neuras” se tornam excêntricas, a ponto de as pessoas viverem achando que tudo e todos estão contra ela, a ponto de se expressar com manias de perseguição, complexos de inferioridade etc.

De onde nasce este clima de desconfiança generalizada? O que a produz?

Podemos dizer que nasce das frustrações, das decepções e das derrotas vividas nas inúmeras experiências e relacionamentos interpessoais. Mas, também, da insegurança frente à exacerbação da violência e da banalização da vida. Parece não ser mais, tão possível, confiar em outro ser humano. Estamos sempre na defensiva, armados, preparados contra os outros.

O pior de tudo isso é que as experiências de desconfiança se generalizam e acabam contaminando relações e pessoas que estão acima de qualquer suspeita em termos de confiança; por exemplo, a relação com os pais e com Deus.

Precisamos restaurar o ambiente de confiança, enfrentando de modo maduro as experiências negativas e particulares de quebra do pacto de confiança. Não assumindo tais situações traumaticamente como frustração, decepção ou derrota. Tal comportamento só permite obsessões. É preciso viver de modo realista cada situação, enfrentando, conscientemente, o problema, a(s) pessoas em questão, os sentimentos feridos e os pontos a serem restaurados.

Não existe meio termo na relação interpessoal: ou se confia, ou não se confia.

Na relação de fé, quem confia em Deus, espera em Deus, se abandona em Deus e vence em Deus. Isso traduz a Fé Bíblica que, no fundo é um PROCESSO permanente de COMUNHÃO e CONVERSÃO. Tem como eixo central a ALIANÇA entre Deus e o homem, desde Abraão até Jesus Cristo.

Formada pelo Amor e pela Fidelidade, esta Aliança estabelece os fundamentos e os alicerces para uma vida bem estruturada e equilibrada ao nível das relações humanas e das relações com Deus, em todas as possíveis situações da vida.

Fé Bíblica é o estágio profundo de MATURIDADE CRISTÃ. É fruto de uma longa caminhada de lutas e labutas: na alegria e na tristeza, na saúde e na doença. Esta caminhada é assegurada e mantida pelo Temor a Deus, pela Esperança, pela Caridade e pela Perseverança.

Para quem foi amadurecendo na fé, a postura diante de qualquer situação ou necessidade é, igualmente, madura e, transborda no silêncio orante, na confiança alegre, na gratidão sincera, na perseverança fiel e no amor filial e fraterno.

O amadurecimento, na fé, não é um acontecimento uniforme e, apesar das similaridades, na forma, na conjuntura, no contexto e, até mesmo, nos condicionamentos é, sempre, algo único pois se forma dentro e a partir do complexo humano de cada indivíduo.

É por isso que devemos respeitar o estágio pessoal, como marca registrada do processo de cada um. Ninguém está mais adiantado ou mais atrasado. Cada um está no seu tempo, de acordo com as suas possibilidades.

A fé bíblica é como uma chama que brilha na escuridão; é como força que para o vendaval!

Para ampliar os horizontes de compreensão e visão madura da fé, não deixe de ler: Nm 14,1-19: “Até quando esse povo vai me desprezar apesar de todos os sinais que tenho feito?”; Ez 37,1-14: “Profetize sobre esses ossos secos…”; Sl 111(110): “Eu celebro a Javé de todo o coração”; Rm 8,31-39: “Se Deus está a nosso favor, quem estará contra nós?”; Mt 14,22-33: “Homem fraco na fé porque duvidou?”

 

Por: Pe. Edivaldo Pereira dos Santos

Foto: Google

Posts Relacionados

ANO
JUBILAR

AMIGOS DO
SEMINÁRIO

ESCOLA
MISSIONÁRIA
DISCÍPULOS DE
EMAÚS - EMIDE

Facebook

Instagram

Últimos Posts