De cabeça quente tudo, em nós, é inconsequente

Compartilhe:

Nas situações mais difíceis e críticas da vida, uma parada para refletir é, sempre, muito bom, oportuno e necessário. Aliás, de cabeça quente as ideias não fluem, não há foco, não há inteligência, não há o mínimo de compreensão e entendimento. Parando para refletir a gente refrigera a mente, ilumina o coração, otimiza o tempo, fundamenta os atos, ordena as ações e, o mais importante, confere um valor ético e um sentido de justiça para todas as coisas.

A estratégia de parada é ótima mas, não em qualquer lugar e, nem tão pouco, em torno de qualquer palavra. O barzinho, por exemplo, desestressa (será?), mas, pode não iluminar; as rodas de conversas fortuitas têm ouvidos, mas, não têm cabeça; as ‘esquinas’ adoram o leva-e-traz; o invejoso não tem bons conselhos e o inconsequente não é capaz de indicar a direção.

Parar é preciso! Então, onde parar? Por um lado, diante de si mesmo: da consciência, da vida, da história, da realidade, das situações, necessidades e problemas. Por outro lado, diante de Deus: o Criador de tudo, o Pai das luzes, o Senhor dos senhores, a Palavra de Vida.

O exercício de parada com a Sagrada Escritura nos coloca diante de nós mesmos e diante de Deus. Esta prática refrigera a mente, ilumina o coração, otimiza o tempo, fundamenta os atos, ordena as ações e, o mais importante, confere um valor ético e um sentido de justiça para todas as coisas.

Vamos nos exercitar diante da Sagrada Escritura…

Perseverança confiante (Eclesiástico 11,12-28)

Existem pessoas fracas e necessitadas de ajuda, carentes de bens e ricas de miséria. O Senhor, porém, olha para elas com benevolência e as reergue da miséria, fazendo-as ficar de cabeça erguida, a tal ponto que muitos se admiram. Bem e mal, vida e morte, pobreza e riqueza, tudo provém do Senhor.  Sabedoria, bom senso e conhecimento da Lei vêm do Senhor, e dele procedem o amor e a prática das boas obras.

Persevere em sua tarefa, faça dela a sua vida, e envelheça cumprindo o seu dever. Não admire o que o pecador faz. Confie no Senhor e persevere na fadiga, pois é fácil para o Senhor enriquecer um pobre de repente.

Proteger a própria família (Eclesiástico 11,29-34)

Não introduza qualquer pessoa em sua casa, porque são muitas as ciladas do fraudulento. O coração do orgulhoso é como a perdiz que serve de isca na gaiola: como espião, ele fica esperando que você caia em ruína. Ele arma ciladas, transformando o bem em mal, e encontra defeitos até mesmo nas melhores coisas.

Discernir a verdadeira amizade (Eclesiástico 12-8-18)

O amigo não se revela na prosperidade, nem o inimigo se esconde no tempo da desgraça. Quando alguém prospera, os inimigos ficam tristes, mas quando alguém cai na desgraça, até o amigo vai embora.

Jamais confie no inimigo, pois a sua maldade é metal que enferruja. Mesmo que ele se abaixe e faça muitos cumprimentos, tome cuidado e desconfie dele; comporte-se com ele como quem limpa o espelho, e você perceberá que a ferrugem dele não resiste por muito tempo. Não o coloque ao seu lado, para que ele não empurre você e ocupe o seu lugar; não o coloque sentado à sua direita, para que ele não procure ocupar a sua cadeira. Caso contrário, tarde demais você verá que eu tenho razão, e ficará arrependido por não ter ouvido os meus conselhos.

Crie o hábito de paradas diante de si mesmo e, diante de Deus pois, de cabeça quente tudo, em nós, é inconsequente.

 

 

Por: Pe. Edivaldo Pereira dos Santos

Imagem: Google

 

Posts Relacionados

ANO
JUBILAR

AMIGOS DO
SEMINÁRIO

ESCOLA
MISSIONÁRIA
DISCÍPULOS DE
EMAÚS - EMIDE

Facebook

Instagram

Últimos Posts