Cerimônias religiosas marcam a Quinta-feira Santa em Oeiras

Compartilhe:

Centenas de fieis participaram da Missa da Ceia do Senhor na Igreja Catedral de Nossa Senhora da Vitória, na tarde da Quinta-feira Santa(02), presidida por dom Juarez Sousa, concelebrada pelo pároco Pe. Kleyton Vieira e pelos vigários paroquiais Pe. José Francisco e Pe. João Francisco, com a participação do diácono permanente Júlio Mário, que fez a leitura do santo evangelho. Nesta celebração dom Juarez Sousa, bispo diocesano, presidiu a cerimônia do Lava-pés, momento em que lavou os pés de 12 homens da comunidade, representando de forma simbólica os 12 discípulos de Jesus, repetindo o gesto de humildade de Cristo. Ainda nessa celebração litúrgica, o bispo diocesano fez memória da instituição da Eucaristia, atualizando o memorial da Paixão e morte do Senhor. Logo após a missa, aconteceu a transladação do Santíssimo Sacramento da Capela-mor até a Capela do Santíssimo, ficando em adoração até meia noite. A partir das 21h o centro histórico foi cenário para a tradicional e secular procissão do Fogaréu.

Durante a homilia, dom Juarez falou de forma muito entusiasmada e exortativa, elucidando pontos importantes para a compreensão do Mistério da Paixão e Morte do Senhor. “Todas as vezes que celebramos a santa missa estamos atualizando o sacrifício feito por Jesus”, disse dom Juarez.

A Transladação do Santíssimo Sacramento aconteceu no final da missa. A Capela do Santíssimo ou Capela do Santo Sepulcro estava ornamentada com flores e velas, onde vários grupos de oração, escolas, pastorais e populares prestaram seu momento de adoração a Jesus na Eucaristia, revezando de hora em hora, com cânticos sacros, louvor e recitação do Santo Terço, até a meia noite. Os altares da Igreja Catedral foram desnudados no final da Santa Missa, como sinal de respeito e humildade.

Às 21h o Centro Histórico foi tomado por fieis que participaram da tradicional procissão do Fogaréu. Uma manifestação da religiosidade popular que acontece há quase duzentos anos em Oeiras e é reservada aos homens, que carregando lamparinas rústicas movidas a querosene, simbolizam os soldados romanos que foram ao encontro de Cristo para prendê-lo. Dentro dessa mística, os romeiros estão em busca de Jesus para guardá-lo em seus corações. Mais de dez mil romeiros acompanharam a procissão do Fogaréu.

O Sermão do Fogaréu foi proferido por Dr. João Batista Rios, Juiz de Direito e Pré-Diácono Permanente, da Arquidiocese de Teresina, que enfatizou em sua fala o tema da CF 2015: “Fraternidade: Igreja e Sociedade”, e o lema: “Eu vim para servir” (Mc 10,45).  Destacou ainda o papel do cristão na sociedade, marcada por grandes desigualdades e corrupção. “Dizer sim a Jesus é agir como autênticos cristãos, assumindo a missão na Igreja e na sociedade”, completou Dr. João.

A Quinta-feira Santa retrata a agonia de Jesus no jardim situado no sopé do Monte das Oliveiras, em Jerusalém (atual Israel), onde acredita-se que Jesus e seus discípulos tenham orado na noite anterior à sua crucificação. De acordo com o Evangelho segundo Lucas, a angústia de Jesus no Getsêmani foi tão profunda que “seu suor tornou-se em grandes gotas de sangue, que corriam até ao chão.”

Encerrando a procissão do Fogaréu, os romeiros adentraram a Igreja Catedral para um momento de Adoração ao Santíssimo Sacramento, agradecendo as graças e bênçãos recebidas.

DSC00010_800x600

DSC00098_800x600

DSC00072_800x600

DSC00051_800x600

DSC00039_800x600

DSC00162_800x600

DSC00145_800x600

DSC00117_800x600

DSC00120_800x600

DSC00121_800x600

 

Posts Relacionados

ANO
JUBILAR

AMIGOS DO
SEMINÁRIO

ESCOLA
MISSIONÁRIA
DISCÍPULOS DE
EMAÚS - EMIDE

Facebook

Instagram

Últimos Posts