Cerimônias em honra ao Bom Jesus dos Passos marcam esta sexta-feira em Oeiras

Compartilhe:

Pelo segundo ano consecutivo a Festa do Bom Jesus dos Passos acontece de modo remoto, tendo em vista o decreto do Governo do Estado e do bispo Diocesano, proibindo aglomerações e obedecendo os protocolos da OMS, a imagem secular do Bom Jesus dos Passos permaneceu no interior da Igreja Catedral, onde durante todo dia foi prestada reverencia, louvor, e orações.
Bandeirolas foram colocadas ao redor da Praça da Vitória, bem como flamulas na Igreja Catedral e na Prefeitura Municipal, marcando assim a vivência do dia de Passos na Capital da Fé.
Às 07h da Manhã Dom Edilson Nobre presidiu a tradicional Missa dos Romeiros diretamente da Igreja do Rosário, e em seguida realizou o percurso da procissão visitando os passos e abençoando as flores, alecrins e a todos que por ali passavam.
Por volta das 10h antes da missa, a imagem de Nossa Senhora das Dores foi colocada ao lado, de Bom Jesus dos Passos em tempos normais, as imagens se encontravam na frente do Paço Municipal e seguiam em procissão até o interior da Igreja Catedral. Após a chegada da Imagem, o Pe. Possidonio Barbosa, pároco da Catedral e Vigário Geral de Oeiras rezou a Missa que foi transmitida pelas rádios da cidade e pelas redes sociais da paróquia.
Durante o dia com pouca movimentação e muita emoção alguns fiéis visitaram a Igreja Catedral para reverenciar a imagem de Bom Jesus dos Passos. A cor Roxa,  predominante, marcavam o dia de Passos que é feriado na cidade de Oeiras.
Às 15h o Terço em honra ao Bom Jesus dos Passos foi rezado e em seguida, ás 16h, com a Solenidade de Passos presidida pelo Bispo Diocesano, Dom Edilson Soares Nobre, onde foi cantado o Ofício, incensado a imagem e aspergida com água benta, e entoado o Miserere intercalado entre o Coral e o Bispo como já é de costume.
Sem o Tradicional encontro das imagens no paço municipal, Dom Edilson proferiu o sermão do Bom Jesus dos Passos, destacando a ” necessidade de  aprofundar, conhecer e abraçar o mistério da CRUZ, o mistério da PAIXÃO que conduz à RESSURREIÇÃO. Só assim seremos capazes de seguir a mesma estrada, o caminho, os PASSOS DE JESUS. Não são palavras improfícuas aquelas ditas por Nosso Senhor, quando Ele soube que alguns gregos queriam se aproximar dele, conforme narra o Evangelho de São João. Disseram eles para Filipe: “Senhor, gostaríamos de ver Jesus” (Jo 12,21). O que respondeu Jesus para estes? “Ah, que bom! Que ótimo! Venham, que eu vou lhes preparar um churrasco para nos conhecermos”? Não! Não foi assim! O banquete oferecido por Jesus será fruto de um processo que nos pede abnegação, paciência, amor, fidelidade, entrega. Portanto, a festa haverá, mas vão participar os que estiverem dispostos a passar pela porta é estreita. Jesus nos ensina que devemos ser como a semente que cai na terra, morre e gera vida. Eis, o que falou o nosso Salvador: “Chegou a hora em que o filho do Homem vai ser glorificado. Em verdade, em verdade eu vos digo: Se o grão de trigo que cai na terra não morre, ele continua só um grão de trigo; mas, se morre, então dará muito fruto” (Jo 12,23-24). Pensemos nisso: a glorificação do Filho de Deus se dá por causa de sua entrega. Jesus é o grão de trigo que cai na terra, sofre, morre e gera vida. Também nós somos pequeninos grãos, lançados neste mundo para nos consumir e gerar vida, gerar alegria, gerar esperança”.

Um dos momentos que marcam a Procissão de Bom Jesus dos Passos é o lamento da Verônica, (Maria Beú)  onde desenrola o sudário com a imagem de Cristo, a jovem escolhida, Iara Fernanda, cantou ao centro do presbitério da Igreja Catedral ladeada por outras jovens que faziam os papéis de Maria Madalena, Maria de Cleofas e Salomé,  momento de grande emoção.
Dom Edilson Nobre, antes da conclusão da celebração, exortou mais uma vez a todos a permanecerem em casa, cumprirem as recomendações e orientações sanitárias, de higienização das mãos, uso de máscara e distanciamento social, emocionado ainda pediu que rezássemos pelos profissionais de saúde e por todos aqueles que estão na linha de frente da Pandemia da COVID-19 concluiu o momento dando a bênção com a relíquia da Santa Cruz, abençoando a todos os que estavam ajudando na celebração, que acompanhavam de sua casa, e a toda Cidade de Oeiras.

Texto: Matheus Nunes Rêgo.

Fotos: Claudio Fernandes

Posts Relacionados

ANO
JUBILAR

AMIGOS DO
SEMINÁRIO

ESCOLA
MISSIONÁRIA
DISCÍPULOS DE
EMAÚS - EMIDE

Facebook

Instagram

Últimos Posts