Procissão de Ramos dá inicio oficialmente à Semana Santa na Diocese de Oeiras

Compartilhe:

Realizou-se na manhã deste domingo, 25.03.2018, as 8:30h, a procissão e missa de Ramos. A distribuição e bênçãos dos Ramos aconteceu na Igreja da Imaculada Conceição, em seguida deu-se inicio solene procissão pelas ruas do centro histórico em direção à Igreja Catedral de Nossa Senhora da Vitória. Centenas de fieis acompanharam acenando com seus ramos com muita alegria, devoção e fé.

A Celebração Eucarística foi presidida por Dom Edilson Nobre, bispo diocesano e concelebrada pelos padres: Possidônio Júnior, administrador paroquial e José Francisco da Silva, vigário paroquial da Paroquia de Nossa Senhora da Vitória e os seminaristas da Diocese de Oeiras,

A Semana Santa começa oficialmente no Domingo de Ramos celebrando a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém e aclamado pelos judeus que O aplaudia e acenavam seus ramos proclamando: “Hosana ao filho de Davi”.

A liturgia de hoje nos apresenta a riqueza do mistério de Cristo, que é verdadeiramente o Senhor. Entregou-se livremente nas mãos dos algozes e morre injustamente na Cruz. Com isso, Ele não apenas assume para Si a figura do Servo Sofredor, como manifesta de modo definitivo que sua divindade, exceto no pecado, assume, por amor, a nossa humanidade.

Na homilia, Dom Edilson ressaltou que “na paixão de Jesus identificamos outros personagens que se evidenciam no caminho do Calvário. Tem Pilatos: um indeciso, porque vazio. Quem é vazio de ideais, facilmente pode condenar… E condenou o Inocente (Jesus). Tem Pedro: um indeciso, porque fraco. A fraqueza é perigosa. É terreno para a traição. E hoje, mais que em outros tempos, a fraqueza parece evidente. Tem Judas: um propenso ao mal, porque o orgulho é o câncer da alma, o orgulho é a raiz de cada violência. O orgulho é um mal um tanto quanto difuso. O orgulho é o início do inferno. Tem Maria: uma mulher propensa ao bem, porque é humilde de coração. No cenário da Paixão de Cristo, Maria revela toda a sua grandeza. Faz-nos recordar as palavras proféticas de Izabel: “Bendita és tu, porque acreditaste!” (Lc 1,45). Tem os sumos sacerdotes: gente que conhecia a escritura bíblica, mas não conhecia o espírito do seu conteúdo”, pontuou.

Hoje, em todas as missas, a coleta financeira se destina a Campanha da Fraternidade. Os recursos apurados são destinados ao fundo de solidariedade nacional e arquidiocesano. São muitos os projetos a serem ajudados com o que partilhamos neste momento.

 

Posts Relacionados

ANO
JUBILAR

AMIGOS DO
SEMINÁRIO

ESCOLA
MISSIONÁRIA
DISCÍPULOS DE
EMAÚS - EMIDE

Facebook

Instagram

Últimos Posts