O discípulo de Cristo deve ser sal e luz

Compartilhe:

A palavra de uma pessoa é, sempre, revestida de credibilidade quando vem acompanhada de uma ação correspondente. Quando o falar de alguém não é acompanhado do agir, seu comportamento é tido como incoerente porque, fala, mas não faz! Na vida diária, não é nada incomum nos depararmos com pessoas altamente versadas no falar e pouco empenhadas no agir. É o velho problema entre teoria e prática! Está claro, portanto, que, todo agir que não corresponde à palavra é, por si mesmo, contraditório. A Sagrada Escritura, porém, chama isso de hipocrisia, entendida como um forte agravante contra o testemunho de fé e o seguimento a Jesus Cristo.

No Evangelho de Mateus 5,13-16, temos uma grande exortação do Senhor:

“Vocês são o sal da terra. Ora, se o sal perde o gosto, com que poderemos salgá-lo? Não serve para mais nada; serve só para ser jogado fora e ser pisado pelos homens. Vocês são a luz do mundo. Não pode ficar escondida uma cidade construída sobre um monte. Ninguém acende uma lâmpada para colocá-la debaixo de uma vasilha, e sim para colocá-la no candeeiro, onde ela brilha para todos os que estão em casa. Assim também: que a luz de vocês brilhe diante dos homens, para que eles vejam as boas obras que vocês fazem, e louvem o Pai de vocês que está no céu.”

No seu ensinamento Jesus usa a metáfora do Sal e da Luz para chamar à conversão pelo testemunho. Se o sal não salga, como poderemos chamá-lo de sal? Se a luz não ilumina, como poderemos chamá-la de luz?

A Metáfora do sal. Como o sal que se dissolve no alimento, “perdendo” o seu aspecto, como substância isolada, assim também é o discípulo do Reino: configurado a Cristo (desde o batismo) vai inserindo-se na sociedade, temperando-a com o verdadeiro sabor da vida que é o amor. Sendo assim, promove o Reino e não a si mesmo.

A Metáfora da luz. O discípulo tem que estar no “lugar” onde a sua ação e presença ilumina de modo intenso e vivo. Jesus quer uma comunidade de discípulos; uma igreja de discípulos e não um gueto ou uma facção. Quem segue Jesus não tem luz própria mas, por estar configurado a Ele, acaba refletindo-o como a lua reflete o sol.

O Cristão é sal da terra! Quer dizer: tempera a vida com o sabor de Cristo e ao mesmo tempo se preserva (conserva) de todo tipo de maldade que faz apodrecer e se perder. Mas, o cristão deve ficar atento para não se tornar um “sal sem sabor”. Quer dizer: uma vida cristã sem incidência prática, profética e testemunhal; uma vida cristã de ritos e práticas de piedade mas, sem amor e solidariedade.

O Cristão é luz do mundo! Quer dizer: deve ser portador da luz de Cristo; ser sinal de Cristo nas palavras, nas ações, nos relacionamentos, na fé, na vida… de modo a iluminar onde quer que esteja e por onde quer que ande. O Cristão deve ter, também, o cuidado para não ter uma vida que não ilumina, não brilha e não afugenta as trevas. Quando Cristo habitar em cada cristão, iluminaremos o mundo! Quando o Povo de Deus (Igreja) encarnar Jesus Cristo, o mal do mundo será tirado; e o Reinado de Deus estará no meio de nós!

Olhando para o profeta Isaías, no seu tempo, vemos o quanto a Palavra de Deus, em sua boca, é contundente em relação à prática religiosa, ligada ao Jejum: “O jejum que eu quero é este: acabar com as prisões injustas, desfazer as correntes do jugo, pôr em liberdade os oprimidos e despedaçar qualquer jugo; repartir a comida com quem passa fome, hospedar em sua casa os pobres sem abrigo, vestir aquele que se encontra nu, e não se fechar à sua própria gente. Se você fizer isso, a sua luz brilhará como a aurora, suas feridas vão sarar rapidamente, a justiça que você pratica irá à sua frente e a glória de Javé virá acompanhando você. Então você clamará, e Javé responderá; você chamará por socorro, e Javé responderá: ‘Estou aqui!’ Isso, se você tirar do seu meio o jugo, o gesto que ameaça e a linguagem injuriosa; se você der o seu pão ao faminto e matar a fome do oprimido. Então a sua luz brilhará nas trevas e a escuridão será para você como a claridade do meio-dia” (Is 58,6-10).

Sejamos Sal! Sejamos Luz! Só assim nossa fé e nossa vida estarão cheias de sentido e o nosso seguimento cheio de testemunho.

 

Por: Pe. Edivaldo Pereira dos Santos

Foto: Google

Posts Relacionados

ANO
JUBILAR

AMIGOS DO
SEMINÁRIO

ESCOLA
MISSIONÁRIA
DISCÍPULOS DE
EMAÚS - EMIDE

Facebook

Instagram

Últimos Posts