Contrastes…

Compartilhe:

Em meio aos inúmeros contrastes que evidenciam as contradições da vida humana, um dos contrastes que merece destaque é aquele percebido no comportamento dos injustos e dos justos. São pensamentos e posturas diametralmente opostas que determinam o bem e o mal de cada um, não nos resultados imediatos das ações, mas, ao longo da vida. Vamos tomar o livro dos Provérbios da Bíblia para nos ajudar!

A FILOSOFIA DE VIDA DOS INJUSTOS (Pr 1,16-2,1.10.12-14.10-20)

Com gestos e palavras, os injustos invocam a morte para si mesmos. Raciocinando de forma errada, eles comentam entre si: “Nossa vida é curta e triste: quando chega o fim, não há remédio, e não se conhece ninguém que tenha voltado do mundo dos mortos.

Vamos embriagar-nos com os melhores vinhos e perfumes, e não deixar que a flor da primavera escape de nós. Vamos coroar-nos com botões de rosa, antes que murchem. Que nenhum de nós fique fora de nossas orgias.

Vamos oprimir o pobre inocente e não vamos poupar as viúvas, nem respeitar os cabelos brancos do ancião.

Vamos armar ciladas para o justo, porque ele nos incomoda e se opõe às nossas ações. Ele declara ter o conhecimento de Deus, e se diz filho do Senhor. Ele se tornou uma condenação para os nossos pensamentos, e somente vê-lo já é coisa insuportável.

Vejamos se é verdadeiro o que ele diz, e comprovemos o que lhe vai acontecer no fim.   Se o justo é filho de Deus, Deus cuidará dele e o livrará da mão dos seus adversários.

Vamos prová-lo com insultos e torturas, para verificar a sua serenidade e examinar a sua resistência. Vamos condená-lo a sofrer morte vergonhosa, porque ele mesmo diz que não lhe faltará socorro”.

A CONVICÇÃO DOS SÁBIOS (Pr 2,21-24; 3,1-8)

Eles pensam assim, porém, estão enganados, porque a maldade deles os deixa cegos. Não conhecem os segredos de Deus, não esperam o pagamento pela santidade, nem acreditam na recompensa das vidas puras.   Sim, Deus criou o homem para ser incorruptível e o fez à imagem da sua própria natureza. Mas, pela inveja do diabo, entrou no mundo a morte, que é experimentada por aqueles que pertencem a ele.

A vida dos justos, ao contrário, está nas mãos de Deus, e nenhum tormento os atingirá. Aos olhos dos insensatos, aqueles pareciam ter morrido, e o seu fim foi considerado como desgraça.

Os insensatos pensavam que a partida dos justos do nosso meio era um aniquilamento, mas agora estão na paz. As pessoas pensavam que os justos estavam cumprindo uma pena, mas esperavam a imortalidade.

Por uma breve pena receberão grandes benefícios, porque Deus os provou e os encontrou dignos dele.  Deus examinou-os como ouro no crisol, e os aceitou como holocausto perfeito. No dia do julgamento, eles resplandecerão, correndo como fagulhas no meio da palha. Eles governarão as nações, submeterão os povos (….).

No tempo do “Ctrl C” e “Ctrl V” em que todo mundo copia e cola textos para compor seus trabalhos, fazer pesquisas, obter informações e material escrito… que tal copiar e colar, também, a maneira de viver dos sábios. Isso não só dá potência para os atos, mas preserva a vida do mal e garante a verdadeira felicidade.

O poder dos maus e dos injustos só prospera mediante a omissão de quem deve fazer o bem. Mas, como o bom é, também, sábio, não deixemos prosperar o mal.

Viva a sabedoria!

 

Por: Pe. Edivaldo Pereira dos Santos

Imagem: Google

 

Posts Relacionados

ANO
JUBILAR

AMIGOS DO
SEMINÁRIO

ESCOLA
MISSIONÁRIA
DISCÍPULOS DE
EMAÚS - EMIDE

Facebook

Instagram

Últimos Posts