Palavra do Bispo

MENSAGEM DE DOM EDILSON SOARES NOBRE AOS LEIGOS(AS) DA IGREJA DIOCESANA DE OEIRAS POR OCASIÃO DO ANO DO LAICATO

Autor: Dom Edilson Soares Nobre

Oeiras, 26 de novembro de 2017.

 

Amados irmãos! Amadas irmãs!

Eu vos saúdo com a paz de nosso Senhor Jesus Cristo!

A Igreja Católica no seu dinamismo pastoral vem provocando-nos a continuamente vivermos em estado permanente de missão. Isto vai acontecendo naturalmente através das pastorais, serviços e movimentos que a animam, e, também, através de anos temáticos que muito nos ajudam a refletir e definir as nossas ações pastorais e nossa participação na vida da sociedade.

Recentemente, celebramos o Ano Mariano, por ocasião dos 300 anos em que foi encontrada no Rio Paraíba do Sul, a imagem da Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida.

Desta vez, a partir da Solenidade de Cristo Rei, neste ano de 2017 até a Solenidade de Cristo Rei 2018, com as Bênçãos e proteção da Mãe Aparecida, a nossa atenção se volta para cada um e cada uma de vocês, leigos da Igreja, discípulos e discípulas missionários que tanto colaboram para espalhar a semente do Reino na Igreja e no mundo.

Assim sendo, venho com o olhar e o sentimento de Pastor desta Diocese de Oeiras dirigir-lhes a palavra de gratidão e de reconhecimento pelo bem imenso e pela riqueza que são vocês leigos e leigas para a vida da Igreja e para o mundo. O tema deste Ano Nacional do Laicato é: “Cristãos leigos e leigas, sujeitos na Igreja em saída, a serviço do Reino”. E o lema, inspirado em Mateus 5,13-14, é: “Sal da terra e luz do mundo”.

Pelo sacramento do Batismo e pela Confirmação, nasce e cresce em cada um de nós o sentimento de pertença a esta Igreja Católica Apostólica Romana, na qual nascemos e através da qual somos chamados a proclamar o mistério da vida, da cruz, da paixão, morte e ressurreição do Salvador, nosso Senhor Jesus Cristo. Isto se dá através dos diferentes dons, carismas, serviços e ministérios, movidos pelo Espírito Santo de Deus.

Para alargar os nossos horizontes a respeito deste tema do Laicato, lembro as palavras do Papa Francisco tratadas na Encíclica Evangelii Gaudium: “A imensa maioria do povo de Deus é constituída por leigos. Ao seu serviço, está uma minoria: os ministros ordenados. Cresceu a consciência da identidade e da missão dos leigos na Igreja. Embora não suficiente, pode-se contar com um numeroso laicado, dotado de um arreigado sentido de comunidade e uma grande fidelidade ao compromisso da caridade, da catequese, da celebração da fé. Mas, a tomada de consciência desta responsabilidade laical que nasce do Batismo e da Confirmação não se manifesta de igual modo em toda a parte; nalguns casos, porque não se formaram para assumir responsabilidades importantes, noutros por não encontrar espaço nas suas Igrejas particulares para poderem exprimir-se e agir por causa dum excessivo clericalismo que os mantém à margem das decisões. Apesar de se notar uma maior participação de muitos nos ministérios laicais, este compromisso não se reflete na penetração dos valores cristãos no mundo social, político e econômico; limita-se muitas vezes às tarefas no seio da Igreja, sem um empenhamento real pela aplicação do Evangelho na transformação da sociedade. A formação dos leigos e a evangelização das categorias profissionais e intelectuais constituem um importante desafio pastoral”.[1]

Assim sendo, considerando os desafios que nos são postos, queridos irmãos e irmãs, invoco as bênçãos de Deus, a luz do Divino Espírito santo e a proteção de Nossa Senhora da Vitória, para que unidos e de mãos dadas, clérigos e leigos, possamos caminhar, com os mesmos propósitos, tomando como referências a Escritura Sagrada, os Documentos da Igreja, os ensinamentos do Santo Padre o Papa Francisco e o nosso Marco Referencial (Plano Pastoral) que foi construído em nossa ultima Assembleia Pastoral Diocesana neste ano de 2017 para o Biênio 2018/2019, e assim, podermos construir o Reino de Deus.

Em tudo a caridade! Fraternalmente,

 

Dom Edilson Soares Nobre

Bispo de Oeiras

[1] FRANCISCO. Exortação Apostólica Evangelii Gaudium, n. 102

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.requerido

*

* *