Notícia da Diocese

Testemunhas da ressurreição pela fé!

Autor: Pe. Edivaldo Pereira dos Santos

Para um processo que tramita na justiça, a lei exige, sempre, que materialidade e autoria delitivas sejam comprovadas por prova testemunhal. Isso é tranquilo, óbvio e necessário no processo, uma vez que alguém poderia ser julgado como réu consumado sem, necessariamente, ser. Ora, ser condenado por um crime sem prova é injusto, ilícito e imoral.

Quando o fato, em questão, é uma experiência de fé, a prova testemunhal não está subjugada à materialidade, mas, ao conjunto de mudanças, transformações e conversão operada na vida de uma ou mais pessoa por causa daquele fato ou acontecimento.

A ressurreição de Jesus é uma experiência de fé que, só pode ser comprovada pela fé, mesmo sustentada por farto material histórico, por testemunhas oculares, discípulos, discípulas e a própria religião cristã.

O cristão não está submetido à necessidade de provar nada para ninguém, sobre a sua fé e nem sobre a sua vida por cauda da fé. Mas, a fé exige, do cristão um testemunho claro, verdadeiro, humilde, livre e justo do que ele crê. Em outras palavras, nós não cremos para provar nada, mas, a nossa fé pede o testemunho daquilo que cremos.

A fé é um ato livre e, assim, deve ser concebido. Ninguém é obrigado a acreditar, mas, se diz que acredita deve dar razões de fé para a fé; deve permitir ser checado; deve ser coerente com a fé. A fé na ressurreição tem como pressuposto, não uma vida de anjos, mas, uma vida de ressuscitados; de pessoas em conversão. É por isso que São Paulo já escrevia aos Colossenses: “Se vocês foram ressuscitados com Cristo, procurem as coisas do alto, onde Cristo está sentado à direita de Deus. Pensem nas coisas do alto, e não nas coisas da terra. Vocês estão mortos, e a vida de vocês está escondida com Cristo em Deus. Quando Cristo se manifestar, ele que é a nossa vida, então vocês também se manifestarão com ele na glória” (Cl 3,1-4).

Paulo carrega, ainda mais, na tinta e chama para a autenticidade de vida diante de si mesmo, de Deus e do mundo; desafia à vida nova em Cristo. Ele assevera: “Façam morrer aquilo que em vocês pertence à terra: fornicação, impureza, paixão, desejos maus e a cobiça de possuir, que é uma idolatria. Isso é o que atrai a ira de Deus sobre os rebeldes. Outrora, também vocês eram assim, quando viviam entre eles. Agora, porém, abandonem tudo isso: ira, raiva, maldade, maledicência e palavras obscenas, que saem da boca de vocês. Não mintam uns aos outros. De fato, vocês foram despojados do homem velho e de suas ações, e se revestiram do homem novo que, através do conhecimento, vai se renovando à imagem do seu Criador.

Como escolhidos de Deus, santos e amados, vistam-se de sentimentos de compaixão, bondade, humildade, mansidão, paciência. Suportem-se uns aos outros e se perdoem mutuamente, sempre que tiverem queixa contra alguém. Cada um perdoe o outro, do mesmo modo que o Senhor perdoou vocês. E acima de tudo, vistam-se com o amor, que é o laço da perfeição. Que a paz de Cristo reine no coração de vocês. Para essa paz vocês foram chamados, como membros de um mesmo corpo. Sejam também agradecidos. Que a palavra de Cristo permaneça em vocês com toda a sua riqueza, de modo que possam instruir-se e aconselhar-se mutuamente com toda a sabedoria. Inspirados pela graça, cantem a Deus, de todo o coração, salmos, hinos e cânticos espirituais. E tudo o que vocês fizerem através de palavras ou ações, o façam em nome do Senhor Jesus, dando graças a Deus Pai por meio dele. (Cl 3,5-10.12-17).

O testemunho da fé é mais do que palavra, é conversão!

A ressurreição é o TESTAMENTO de fé, garantido pelo Bem Amado, Irmão e Senhor Jesus que, nos AMOU e se ENTREGOU por nós. O SENHOR RESSUSCITOU; está vivo no meio de nós!

Que a Páscoa de Jesus seja, também, a sua, das famílias e das comunidades!

Feliz páscoa da ressurreição!

Por: Pe. Edivaldo Pereira dos Santos

Foto: Google

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.requerido

*

* *