Notícia da Diocese

Corpus Christi

Autor: Pe. Edivaldo Pereira dos Santos

No dia 15 de junho de 2017, todas as comunidades cristãs, católicas, celebraram a Festa de Corpus Christi, ou seja, a Festa do Corpo e do Sangue de Cristo. Uma manifestação pública da fé católica em Cristo vivo e verdadeiro presente na Hóstia Consagrada. Deus se faz alimento e, a partir do banquete da Eucaristia (Missa) alimenta o seu povo.

O reconhecimento de Cristo como nosso Senhor e Deus é que nos leva a preparar-lhe uma festa com honras de rei: tapetes, flores, roupas, alimentos…

 

UM POUCO DE HISTÓRIA

A festa de Corpus Christi teve a sua origem na diocese de Liège, na Bélgica, no século XIII, quando em 1247 se iniciou a celebração de uma festa dedicada à Eucaristia, fora do contexto da Semana Santa.

Em 1264, o Papa Urbano IV oficializou e estendeu-a para todo o mundo cristão da época. Seria natural que essa comemoração fosse feita na quinta-feira da semana santa, data que está especificamente relacionada à instituição da Eucaristia. Porém, as características desse período, num clima impregnado de tristeza, não possibilitaram grandes comemorações públicas: uma Eucaristia vibrante, alegre e festiva. Assim, a Igreja houve por bem, determinar a segunda quinta-feira após a festa de Pentecostes, para festejar solene e publicamente o Cristo Eucarístico.

A festa de Corpus Christi surgiu numa época da Idade Média, na qual a cristandade estava sendo agitada por uma polêmica que questionava a presença real de Jesus na Eucaristia.

Eram duas correntes que colocavam em dúvida a transformação do pão e do vinho em Corpo e Sangue de Cristo, na hóstia consagrada.

Uma dessas correntes reduzia a consagração a um mero simbolismo, a um puro sinal. Asseverando que não havia, por parte do fiel, um contato real com Cristo na Eucaristia. Seria uma relação apenas espiritual.

A outra corrente pregava a comunhão do corpo físico e padecente de Jesus, mas não a presença do Cristo Ressuscitado e Glorioso.

Essas correntes, extremamente equivocadas, ao invés de diminuir a força e o valor da Eucaristia geraram uma reanimação e reafirmação do culto eucarístico. Quer dizer, da autenticidade da adoração do corpo e do Sangue de Jesus Cristo, criando uma festa que tivesse vinculação com o dia da Instituição da Eucaristia.

Na ocasião da última ceia, quinta-feira santa, Jesus nos presenteou com um banquete da libertação e da salvação: o Sacramento da Eucaristia. Por isso é que a comemoração do Corpus Christi se dá numa quinta feira.

A festa de Corpus Christi foi ganhando espaço, notoriedade, o mundo e as ruas. Assim, em 1311, foi realizada a primeira procissão festiva, levando o Santíssimo Sacramento pela ruas e praças da cidade, devidamente ornamentada.

ESTÁ ESCRITO…

“E Jesus continuou: ‘Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Quem come deste pão viverá para sempre. E o pão que eu vou dar é a minha própria carne, para que o mundo tenha a vida.’ (…) ‘Este é o pão que desceu do céu. Não é como o pão que os pais de vocês comeram e depois morreram. Quem come deste pão viverá para sempre.’ Jesus disse essas coisas quando ensinava na sinagoga de Cafarnaum” (João 6,51.58-59).

 

Por: Pe. Edivaldo Pereira dos Santos

Foto: Google

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.requerido

*

* *