Notícia da Diocese

Clero diocesano participa da Solenidade de Dedicação da Catedral de Nossa Senhora da Vitória

Autor:

Nesta quarta-feira, 14/08/2019, o bispo de Oeiras, Dom Edilson Nobre, presidiu a solenidade festiva da Dedicação da Igreja Catedral de Nossa Senhora da Vitória. Com início às 19h, a Celebração Eucarística contou com a participação do clero diocesano, religiosas, representações das diversas paróquias e devotos da Virgem da Vitória, que lotaram todo o adro da Igreja Catedral.

Nos primeiros séculos do cristianismo, a cátedra foi objeto de muita veneração  Esta veneração levou a dedicar festas especiais para honrar a cátedra de São Pedro em Roma e em Antioquia, veneração esta que continuou para as cátedras dos bispos, sucessores dos apóstolos. Daí a importância que adquiriu a igreja onde estava a cátedra do bispo. Em todas as dioceses do mundo, a catedral é lugar de referência da fé, e lugar sagrado onde os fiéis de uma igreja particular se reúnem especialmente por alguma significativa celebração para exprimir e proclamar a própria fé é a própria unidade em Cristo. A catedral é o centro eclesial e espiritual da Diocese. A catedral é o símbolo visível da unidade de toda a comunidade cristã.

No dia 15 de agosto de 2007, Dom Lorenzo Baldisseri, então Núncio Apostólico no Brasil, esteve em Oeiras para a cerimônia de consagração da Igreja Catedral de Nossa Senhora da Vitória. A solenidade da Dedicação da Igreja Catedral é rememorada no dia 10 de agosto, dentro do festejo da Padroeira de Oeiras e do Piauí. Este ano, por motivos pastorais, a solenidade de Dedicação foi celebrada no dia 14 de agosto.

Dom Edilson destacou em sua homilia que “no dia em que este templo foi dedicado e este altar foi consagrado o Bispo dirigiu estas palavras: “Esta casa anuncia o mistério da Igreja, santificada pelo Sangue de Cristo, que Ele quis apresentar a Si mesmo como Esposa gloriosa, Virgem admirável na integridade da fé, Mãe fecunda pelo poder do vosso Espírito. Igreja santa, vinha eleita do Senhor, que ao mundo inteiro estende os seus ramos, e, suspensos da árvore da cruz, os ergue até ao reino celeste. Igreja feliz, morada de Deus com os homens, templo santo, construído de pedras vivas, edificada sobre o alicerce dos Apóstolos, tendo Cristo Jesus como pedra angular. Igreja excelsa, cidade erguida no alto do monte, visível para todos, a todos manifesta, onde a lâmpada do Cordeiro brilha sem cessar e ressoa, agradecido, o cântico dos bem-aventurados”, pontuou.

Ao término da santa missa, o bispo acompanhado do clero diocesano, participou de momento de convivência fraterna no salão Paroquial.

 

 

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.requerido

*

* *